Maré vermelha: desastre ambiental no Chile

Maré vermelha: desastre ambiental no Chile

Pouco noticiado no Brasil, a maré vermelha que atualmente está pondo o Sul do Chile em pé de guerra é um dos maiores desastres ambientais deste tipo já registrados no mundo. Ocasionado pelo aumento potencial de microalgas extremamente tóxicas,  o fenômeno atingiu com impacto muito grande no arquipélago de Chiloé, estagnando a economia local  e provocando vários protestos de pescadores e comerciantes.

A ingestão dessas microalgas ocasionou a morte de milhões de peixes nos últimos meses. Os  moluscos microfiltrantes, como mexilhões e ostras, tornaram-se transmissores da bactéria que fica armazenada em seus corpos e estão proibidos para consumo.

Os biólogos marinhos esclarecem que a maré vermelha trata-se de um fenômeno natural. Porém, o que causa o descontrole ambiental,  com uma extensão tão grande e por tanto tempo é sem dúvida o aquecimento global, que além do aumento da temperatura marítima, acidifica a água. Essa mudança físico-química nos oceanos, associado com a presença do El Nino, torna o local propício para a reprodução das algas.

Moluscos mortos pela maré vermelha
Moluscos contaminados pela maré vermelha

Pescadores chilenos, inclusive apontam como uma possível causa da acentuada  maré vermelha, o descarte pela indústria pesqueira de cerca de 4,5 toneladas de salmão estragado nas águas próximas a área afetada.

O governo rejeitou inicialmente a causa, mas especialistas garantem que a questão deve ser melhor estudada para saber se isto afetou ou não a ocorrência do fenômeno. O que se sabe de fato é que o descarte de esgotos domésticos e industriais podem sim alterar os sais minerais da água e podem ajudar no surgimento da maré vermelha.

Bactérias da maré vermelha do Chile causam paralisia muscular

 

Essa espécie de alga (Alexandrium catenella), vive nas profundezas da borda costeira em estado de dormência, à espera de condições climáticas para sua ativação. Por esse motivo, a maré vermelha tende a rescindir em outros anos, o que está se tornando constante no Chile.

Coloração da maré vermelha
A cor avermelhada impressiona

O fenômeno conhecido como FAN (Floração de Algas Nocivas) já ocorreu no Chile nos anos de 2002, 2006 e 2009. Essa nova manifestação está sendo apontada como a de maior ocorrência no país, sendo a nível mundial somente a comparada com a que ocorreu no ano passado na Costa Americana, próximo a Flórida e que durou cerca de um ano.

O nome maré vermelha, ocorre pois no período de floração essas algas adquirem tons vermelhos, amarelos e marrons que normalmente deixam manchas avermelhadas no mar, como se fosse sangue derramado, causando uma visão impressionante.

A microalga encontrada no Chile produz uma bactéria tóxica que pode ocasionar paralisia muscular, respiratória e levar as pessoas a morte muito rapidamente  e por esse motivo foi decretado alerta sanitário e o comercio de mariscos desta região está totalmente proibido até 20 de julho.

Claro que isso afetou demasiadamente a região do arquipélago de Chiloé, cujas 45 ilhas vivem praticamente desta economia. Os trabalhadores estão recebendo ajuda do Governo, mas julgam insuficientes para sua manutenção e de suas famílias e os protestos nas ilhas são constantes.

A boa notícia é que o fenômeno vem perdendo forças nas últimas semanas com a proximidade do inverno, baixando os níveis de radiação solar e consequentemente da temperatura da água. O que se espera é que o período frio volte a equilibrar a proliferação das algas e a região possa voltar à normalidade econômica.

Mas a pergunta que fica entalada na garganta é: o que estamos fazendo com nosso planeta que nos mostra vários  alertas de que estamos no caminho errado? A preocupação governamental é praticamente nula, com medidas apenas paliativas, mas sem se importar de fato com soluções e políticas de grande benefício ambiental.

Como sociedade precisamos nos conscientizar e cobrar medidas realmente eficientes do ponto de vista de preservação dos mares e oceanos e de todo o planeta. A cada dia que passa, só vemos mais e mais desequilíbrios no meio ambiente e cada vez mais, eles ocorrem mais perto dos nossos olhos. Até quando vamos deixar isso ocorrer? O que está em risco é a vida, simplesmente, a vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *